Rapidinha – Textos de Econ Fin

 Pessoal, acabei de receber um e-mail do professor com dois textos para a matéria de Econ Fin, o professor pediu para repassar pro pessoal da turma ler, ele não passou nenhuma informação adicional de algo que necessite ser feito.

Análise

PIB mostra que país caminha a passo de caranguejo

FERNANDO ZILVETI
ESPECIAL PARA A FOLHA

O PIB de 2011 anunciado recentemente pelo governo federal retoma a questão da desindustrialização do país. A contribuição da indústria no PIB brasileiro ficou em 14,6%. Compara-se à participação industrial no governo Juscelino Kubitschek. Foi justamente em 1956 que começou o grande impulso na industrialização, com um ambicioso plano de metas de desenvolvimento. Uma curiosidade estatística se apresenta na carga tributária naquela época: 14% do PIB. Hoje, a carga tributária comparada ao PIB representa algo em torno de 35%.

A tributação parece desempenhar um papel cruel no processo de desindustrialização brasileiro. O desequilíbrio nas contas públicas agravou-se também a partir da década de 1950. Se JK pode ser caracterizado como desenvolvimentista, sob a perspectiva fiscal, houve problemas nessa área e também na política monetária, levando o Brasil a um enorme endividamento público.

A responsabilidade fiscal e monetária somente seria retomada no fim do século 20. Esse equilíbrio garantiu ao Brasil a condição de receber investimentos externos e de retomar o crescimento.

ZELO E DESCUIDO

O governo zelou pela estabilidade fiscal e monetária, mas descuidou da produção interna. Persistem a falta de política industrial e o crescimento da carga tributária. Há ainda os incentivos fiscais concedidos livremente. Em diversas regiões do país, empresas têxteis fecham suas portas e transformam imóveis em condomínios horizontais e verticais. Muitos desses bens, porém, foram doados pelo Estado direta ou indiretamente, por meio de incentivos fiscais ou renúncias de todos os níveis. O contribuinte, que pagou por esses incentivos, fica de lado.

Americana, em São Paulo, vê sua indústria têxtil desaparecer. Resistiram as empresas que inovaram para não sucumbir. Por causa da política tributária, montaram negócios na China para exportar para o Brasil -e exportaram emprego para chineses. Outras indústrias, com o objetivo de evitar a carga fiscal, cortaram o atacadista e o varejista da cadeia de geração de empregos, abrindo seus próprios pontos de venda nos grandes magazines e lojas de departamentos.

FERNANDO ZILVETI é livre-docente pela Faculdade de Direito da USP e professor de finanças da EAESP – FGV.

O outro texto está em uma imagem:

Rapidinha – Descanso de Seg Info, Econ Fin e IA

Tororeiros e tororeiras da Fatec, venho a vós lembrar que amanhã (22/03) não haverá aula de Econ Fin, aproveito também para avisar que a professora de Seg Info liberou os alunos da aula, portanto amanhã NÃO haverá aula de Seg Info e Econ Fin.

Além de amanhã, sexta-feira (23/03) também não haverá aula de IA, conforme o último slide apresentado em sala.

Aud Sist – 3a aula

Na 3a aula de Aud Sist a professora recebeu os textos do filme sobre a Enron e leu um texto que trata:

Contextualização histórica desde da quebra da bolsa em 1929
Escândalos das empresas: Enron, Arthur Andersen, Worldcom e Parmalat
Criação da lei Sarbanes-Oxley (SOX)

A professora também exibiu dois vídeos curtos de um sátira sobre a crise imobiliária de 2008 e pediu um texto para a próxima aula sobre essa crise, também conhecida com crise sub-prime.

Aud Sist – 1a aula

Na primeira aula de Aud Sist, a professora Edméa Pujol Cantón apresentou os objetivos da disciplina, critérios de avaliação e a bibliografia em que a disciplina é baseada.

Critérios de avaliação:

  • Provas
  • Frequência/Participação
  • Exercícios
  • Projeto de campo (prático)

Segundo a professora, a nota de frequência/participação é inicialmente 10 e reduz conforme o aluno falta nas aulas.

Nota final:

M = (P1 + Pm + 2Pj)/2

Onde:
P1 = prova
Pm = participação
Pj = projeto de campos

as notas para aprovação são:

E: 9 <= M <= 10
A: 7,5 <= M < 9
B: <= M < 7,5
C: 0 <= M < 6

A bibliografia que compõe o curso é:

ARIMA, Carlos Hideo, SANTOS, José Luiz dos, SCHMIDT, Paulo. Fundamentos de Auditoria de Sistemas. Editora Atlas.
GIL, Antonio Loureiro. Auditoria de Computadores. Editora Atlas.
MOSCOVE, Stephan A.. Sistemas de Informações Contábeis. Editora Atlas

Além dos objetivos e critérios de avaliação, a professora passou um filme/documentários: 1929 The Great Crash

Como atividade a professora pediu para fazer um texto falando sobre o filme, a professora também pediu para quem for da disciplina se cadastrar através do e-mail: audsist1n2012@yahoo.com.br

LES – 4a aula

Na aula de hoje, o professor sentou novamente com cada grupo para apresentar a nota da reapresentação do Projeto Lógico e também as correções para o trabalho. A correção do projeto lógico será necessária para o fim do semestre, onde os documentos gerados nessa fase serão reentregues juntos com a fase Projeto Físico.